Contratar uma pessoa com autismo?

As pessoas com autismo consideram-se pontuais, organizadas, competentes e responsáveis, mas também muitas vezes discriminadas no local de trabalho, o que levou a Federação Portuguesa de Autismo a criar um guião para empregadores, apresentado nesta quinta-feira.

A FPDA avançou então com um projeto de investigação, juntamente com 13 jovens com perturbações do espectro do autismo, dez rapazes e três raparigas, que responderam a um questionário e depois a uma entrevista semi-estruturada, em que apontaram o que deveria ser dito aos empregadores.

As entrevistas tinham vários temas, como a inclusão, os elogios, a discriminação, e, dentro desses temas, há conselhos que as pessoas com autismo dão aos empresários.

 

Leia mais no site da Federação Portuguesa de Autismo

Consulte a noticia completa no jornal Público.