O que é?

O autismo é uma desordem neurobiológica do desenvolvimento ou do neurodesenvolvimento que perdura por toda a vida do indivíduo. Por vezes, é chamada de perturbação do desenvolvimento porque normalmente inicia- se antes dos 3 anos de idade, no período de desenvolvimento, e porque causa atrasos ou problemas em muitas competências que surgem desde a infância até a idade adulta.

Os principais sinais e sintomas do autismo envolvem a linguagem, o comportamento social e comportamentos em relação a objetos e rotinas: Segundo o DSM –V: Comunicação e Interação Social

 Limitações na reciprocidade social e emocional

 Limitações nos comportamentos de comunicação não verbal utilizados para a interação social como ausência de apontar, contacto visual

 Limitações em iniciar, manter e entende relacionamentos, variando de dificuldades com adaptação de comportamento para se ajustar as diversas situações sociais

Padrões restritos ou comportamentos repetitivos, interesses ou atividades, manifestadas pelo menos por dois dos seguintes aspectos observados ou pela história clínica:

1. Movimentos repetitivos e estereotipados no uso de objetos ou fala ;

2. Insistência nas mesmas coisas, aderência inflexível às rotinas ou padrões ritualísticos de comportamentos verbais e não verbais;

3. Interesses restritos que são anormais na intensidade e foco;

4. Hiper ou hiporreativo a estímulos sensoriais do ambiente.

Os sintomas devem estar presentes nas primeiras etapas do desenvolvimento. Estes podem não estar totalmente manifestos até a demanda social exceder suas capacidades ou podem ficar mascarados por algumas estratégias de aprendizado ao longo da vida. Os sintomas podem causar prejuízo significativo nos seus dias a dias nas áreas social, ocupacional ou outras áreas importantes de funcionamento do individuo.

As pessoas com autismo podem ter dificuldades em falar, ou podem não estabelecer contacto visual ao falarem com o seu interlocutor. Podem ter de alinhar os seus lápis antes de se concentrarem ou podem dizer a mesma frase várias vezes até se acalmarem. Podem agitar os braços para dizerem que estão felizes ou podem magoar-se para expressarem que não o estão. Algumas pessoas com autismo nunca aprendem a falar. Estes comportamentos não só tornam a vida das pessoas com autismo um desafio, mas também as vidas dos seus familiares, dos seus cuidadores, educadores, professores e de todos os que entrarem em contacto com elas.

Uma vez que as pessoas com autismo podem ter traços e sintomas diferentes, o autismo é encarado como um transtorno do espectro autista: um grupo de perturbações com uma gama de características semelhantes. Com base nas suas forças e fraquezas específicas, as pessoas com perturbações do espectro autística pode ter sintomas leves ou sintomas mais sérios, mas todas têm uma PEA. Passaremos a usar o termo PEA e autismo para designar o mesmo.